Diário do Nordeste Plus

Decoração em conta: inspire-se

Mesmo sem nenhum conhecimento em decoração ou design de interiores, jovens apostam em decoração estilo “DIY” (Do It Yourself, ou faça você mesmo, em português) e em alternativas mais baratas para economizar e conseguem resultados de encher os olhos

A casa é uma extensão da personalidade dos moradores. É justamente por isso, e até mesmo por hobby, que jovens abrem mão de arquitetos e designers de interiores para decorar sua residência e, de bônus, economizar nos gastos. Ainda que seja uma tarefa difícil, principalmente para quem não tem experiência, montar seu lar, doce lar também pode ser divertido. É o caso da empresária Patrícia Mirza, que não esconde a satisfação em assinar a decoração de sua casa.

Patrícia Mirza decidiu economizar e decorar a própria casa Foto: Bruno Gomes

Recém-casada, ao fazer o orçamento com um escritório de arquitetura ficou assustada com o valor cobrado pelos profissionais. Fã de plataformas como o Pinterest, rede social de compartilhamento de imagens, ela juntou suas referências e montou a primeira casa própria. O orgulho do resultado final é tão grande, mesmo sem tá com todos os cômodos finalizados, que a cearense criou um Instagram (@casinha.121) para compartilhar com seus seguidores imagens do espaço, que divide com o marido e a pequena Kyra, cadela da raça Chow Chow.

“Eu sempre gostei muito de decoração, muito mesmo, e quis fazer minha casa de uma forma que sentisse que aquele lugar era meu. Com pouca coisa, mas que todos os objetos da casa tivessem um pouco da minha personalidade e do meu marido. O estilo que eu gosto se chama escandinavo, ou nordic, em inglês. É uma decoração com muito branco e detalhes decorativos que dão o toque de personalidade do morador”, contou ela.

O sofá da casa da empresária, por exemplo, foi um achado no Centro de Fortaleza por cerca de R$ 400. As dicas de lojas que vendem peças decorativas mais baratas são todas achadas na internet. “Sempre tem lugares que vendem o que a gente quer por um preço mais barato. Nós que gostamos de gastar dinheiro com objetos mais caros. Quando não consigo achar o que eu quero porque é caro, procuro uma forma de fazer eu mesma e dá supercerto”. Em seu Instagram pessoal, aliás, Patrícia (@patriciamirza) posta constantemente dicas de “faça você mesmo”.

“Nossa prioridade, depois de casado, foi ter uma casa própria e não morar de aluguel. Poderia ter comprado um sofá mais caro, mas não quis. Meu sofá é básico e neutro. Andei no Centro e achei um modelo barato que não fosse desconfortável. Mas aí eu invisto em outras peças, pra dá um toque especial, como as almofadas e a manta. Quando enjoo da decoração, mudo a manta e faz toda a diferença”.

Outro detalhe que chama atenção na casa de Patrícia são o banco e o puff de pelúcia. Ambas as peças foram feitas pela cearense. “Tinha comprado uma manta de pelúcia no Centro, peguei um puff velho e fui grampeando com um grampeador de madeira. Sobre o banco, vi um igual no Pinterest. Quando fui comprar em uma loja era cerca de R$ 500. Desisti. Fui em Messejana, comprei o banco, que custou R$ 15, e com o resto da manta de pelúcia cobri a peça”.

Banco de pelúcia feito pela cearense Foto: Bruno Gomes

“Pelo menos no primeiro ano de casados, não é nosso intuito gastar com a decoração da casa. A gente precisava de um painel pra televisão, por exemplo. Como não queria desembolsar muito dinheiro, comprei duas prateleiras, cada uma custou R$ 60, e coloquei como apoio. Uma dica legal é colocar papel de parede atrás, que fica como um painel”.

Apesar de ainda está curtindo a primeira casa própria, uma reviravolta em sua vida fez com que Patrícia colocasse o pé no freio na decoração do lar. O marido recebeu uma proposta de emprego na Irlanda e, ano que vem, os dois devem se mudar para o continente europeu. Empolgada com a nova fase que está por vir, ela já começou as pesquisas para decorar o próximo lar. “Fora do Brasil as coisas são bem mais baratas. Já estou assistindo vídeos de brasileiros que moram lá e compram peças de casa e estou ficando doidinha. Um sofá, por exemplo, custa em torno de 60 euros. Aqui, um sofá bom, não custa menos que R$ 5 mil”

A empresária também contou que é por conta dos preços baratos que costuma trazer quadros e outros objetos de decoração de suas viagens internacionais. “No exterior, a cultura das pessoas, geralmente, é diferente. O pessoal gosta de viver de forma mais simples, não gosta de ostentar. As casas, por exemplo, você observa que tem um pouco da personalidade dos moradores em cada cômodo. Tenho uma amiga que vive nos Estados Unidos que teve neném agora e o quarto da criança foi todo feito por ela. Ela não contratou um arquiteto e gastou ‘rios’ de dinheiro e ficou um espaço bem infantil, que a criança pode aproveitar muito mais”.



Mais cor, por favor

Roberta Tenório é formada em direito e atua na área pastoral cristã, mas sempre nutriu paixão pelas cores, texturas e moda, o que lhe incentivou a montar seu apartamento do seu jeito. A cearense conta que, apesar de ter feito um projeto do espaço com um arquiteto, adaptou alguns detalhes de acordo com seu gosto e realidade financeira.

O sofá da sala, por exemplo, era do acervo de uma tia e composto por três partes. “No meu apartamento, por ser bem pequeno, só caberia uma. Como o sofá era bem velho, ela ia se desfazer dele. Fiquei com o móvel e mandei reformá-lo com um estofador. Ele ficou fofo e deu supercerto! Economizei muito”.

Roberta Tenório adaptou projeto para sua realidade Foto: Nah Jereissati

Ela também comprou algumas peças de decoradoras que estavam se desfazendo de objetos decorativos. “Eu amava o trabalho das duas, mas ambas decidiram encerrar suas atividades. Entre os achados, adquiri algumas almofadas com capas coloridas e lindas, um quadro de giz para minha sala e minigarrafas”.

Com um olhar apurado, mesmo sem ter formação na área, a cearense também usa caixote de feira em sua decoração. “Uso um para ser minha mesinha de cabeceira e um apoio para copos, livros ou algo que queira deixar perto de mim no quarto. Na lavandeira, empilhei alguns caixotes para guardar os produtos de limpeza. Fiz alguns quadros com a ajuda de um amigo para ter um custo menor. São ótimos para decorar o quarto”.

A cearense mandou reformar um sofá antigo com um estofador Foto: Nah Jereissati

Adepta do lema “bom, bonito e barato”, Roberta gosta de pesquisar lojas com preços em conta e indica a Le Biscuit e a Camicado. Ela também gosta de trocar figurinhas com amigas criativas. Outra dica que a cearense dá para quem enfrenta o desafio de decorar a própria casa, é reaproveitar itens que você já tem e reformá-los. “As pessoas também podem consultar o acervo da mãe, avó e tia. Normalmente elas têm coisas que são mais antigas e que sendo repaginadas dão um ar superlegal. Também gosto de pesquisar em lojas de departamento”.

Roberta contou ainda que trouxe algumas peças decorativas de um intercâmbio que fez com o marido na Austrália entre julho de 2014 e 2015. “Sonhava em ter alguns objetos que via lá. O preço era até engraçado. Parecia mentira se comparado com os do Brasil. Não exitamos. Abrimos mão de trazer outras coisas para comprar itens de decoração para o nosso apartamento”.



Desafio

Ex-repórter da Capricho e popular, principalmente entre o público jovem, por tratar no blog que leva seu nome temas como moda, beleza, viagem, Disney e comportamento, Karol Pinheiro também é expert em decoração. A jornalista, que dia 13 de junho lança seu primeiro livro, intitulado “As coisas mais legais do mundo”, conta que sempre gostou do tema e, mesmo quando morava com os pais, gostava de buscar referências para “pintar as paredes, reformar a cortina e mudar os objetos de lugar”.

Atualmente, Karol mora sozinha em um apartamento decorado por ela. E não foi a primeira vez que encarou o desafio, já que nos últimos meses se mudou três vezes. A blogueira explica que acha legal contar com a ajuda de um profissional na hora de projetar um apartamento, no entanto, como precisou arrumar o espaço com pressa, já que usa sua casa como cenário dos vídeos que grava para o YouTube, acabou encarando a responsabilidade por conta própria.

“Acredito que ter a ajuda de um profissional deva ser ótimo para ter mais noção de espaço, por exemplo. Mas, no fim, decorar sozinha acaba sendo divertido e gratificante”.

Ainda que trate de moda em seu endereço virtual, Karol é categórica ao dizer que as pessoas não devem seguir tendências na hora de decorar o lar. “Do que adianta estar na moda se a moda não tem nada a ver com você? Importante mesmo é sentir-se bem dentro de casa, independente do tipo de decoração que escolha para ela”.

Para seguir no Instagram: @karolpinheiro Foto: Mariana Nóbrega/Divulgação

Apesar de adorar os tutoriais de DIY, ela confessa não ser boa em trabalhos manuais e revelou que gosta mesmo é de comprar peças decorativas online. “Gosto de procurar lojas que tenham produtinhos diferentes e combinem comigo e com a decoração”. No entanto, se orgulha ao contar que montou sua estante sozinha. “Nunca tinha parafusado nada na vida e ver a estante de pé me deixa muito feliz”.

Karol diz que uma boa dica é as pessoas entenderem que o simples pode, sim, ser muito bonito. “Adoro usar sacolinhas de marcas que gosto como vasinhos de flores, por exemplo. Recentemente pendurei uma delas na parede junto com alguns quadrinhos. Ficou demais”.







Siga e se inspire

Isabela Marques e Felipe Alfieri posam com a cachorrinha, a buldogue inglesa Porpeta. Para seguir no Instagram: @deleedelablog Foto: Reprodução/Dele & Dela

O casal Isabela Marques e Felipe Alfieri já tinha o blog deleedela.com quando resolveram compartilhar com seus leitores a reforma do apartamento de 55m² em São Paulo. Além de terem decorado o espaço, a dupla colocou a mão na massa durante o período da reforma. Eles só podiam pagar um pedreiro, então viraram ajudantes do profissional e trabalharam durante 15 dias juntos para chegarem ao resultado final.

Cada detalhe do desafio foi registrado no endereço virtual e Isabela e Felipe acabaram incorporando decoração ao conteúdo do site, o que é ótimo para quem está em busca de referências.







Talvez o nome Thalita Carvalho não seja estranho para você. A publicitária é apresentadora do programa “Mais cor, por favor”, do canal por assinatura do GNT, que tem como proposta transformar ambientes usando as cores e as próprias mãos.

Para seguir no Instagram: @casadecolorir Foto: Elisa Mendes/Divulgação

Ela ainda alimenta um blog chamado Casa de Colorir onde dá muitas dicas para os leitores transformarem objetos decorativos antigos em novidades para transformar seu cantinho.